Despedidas

Ontem uma amiga minha viajou para São Paulo, para lá morar de vez. Foi com o filho que completou seu primeiro aniversário no dia anterior e com o marido paulistano.

Ela é minha amiga do início dos meus tempos universitários aqui em Fortaleza, antes de minha mudança para a Europa. Fui à festa do pequeno com outra amiga nossa da mesma época, com quem fiz várias cadeiras em comum. Formávamos na época um trio bastante unido, que mesmo quando as obrigações acadêmicas exigiam bastante dedicação e que, por isso, reduzíamos nossos contatos, não deixávamos de nos falar e de partilhar alegrias, tristezas e projetos de futuro. Aliás, creio que pouca coisa interesse tanto a jovens universitários quanto tratar de projetos para o futuro, uma vez que a vida adulta se abre para nós nessa época.

Foi uma bela festa. Uma vez que o marido dela é filho de japoneses e o filho herdou os traços orientais, o tema do aniversário foi o Japão. A caracterização do cenário e do traje dela e do filho ficaram ótimos, combinando em tudo com a proposta. Durante a festa, alguns pensamentos e lembranças ocorreram-me à mente.

Lembrei-me dos meus primeiros anos na Unifor, descobrindo a vida universitária e das novas amizades que ali fazia. Lembrei-me de amigos e colegas, a maioria deles jovens recém saídos da adolescência e hoje quase todos com filhos ao colo. Lembrei-me de como mudamos ao longo desse tempo, tanto fisicamente como psicologicamente, profissionalmente e socialmente. Lembrei-me das pessoas que nos cercam, das que nos cercavam e se afastaram, bem como das que nos cercavam e já não mais estão nesse mundo (especialmente os familiares). Lembrei-me de nossas vitórias, conquistas, derrotas e aspirações ainda por realizar.

Sim, o tempo arrasta tudo! E ele passa rápido, e devagar ao mesmo tempo, dependendo do que nos referimos.

Agora ela vai viver em outra cidade, de outro Estado, e raramente voltará por aqui. Não sei quando poderei visitá-la em São Paulo mas, pelo correr dos eventos em minha vida, não será tão cedo. Não tenho triteza por isso, pois já estou acostumado a viver longe dos meus e essa foi a vida que escolhi para o meu futuro. Bem, que seja como Deus quer.

Fábio V. Barreto

Anúncios

Sobre Fábio V. Barreto

Católico, aprendiz de escritor, ávido por conhecimento, e outras coisas mais.
Esse post foi publicado em Crônicas, Recordações e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Despedidas

  1. Tecla disse:

    VoCê sempre perfeito em suas colocações. Meu querido e estimado amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s